Em um mundo de projetos complexos e ambientes de negócios em constante mudança, escolher a abordagem certa de gestão pode ser o divisor de águas entre o sucesso e o fracasso. Este artigo irá mergulhar nas diferenças fundamentais entre Agile e Waterfall, duas metodologias populares que podem moldar o resultado dos seus produtos digitais.

Planear

Em primeiro lugar, um ponto crucial que diferencia estas duas abordagens é o planeamento. No Agile, temos um planeamento incremental, isto é, flexível e realizado aos poucos. Imagina um jogo de futebol onde a estratégia é adaptada em tempo real, de acordo com a performance da equipa adversária. A equipa Agile, como os jogadores de futebol, não necessita (nem é possível) ter todas as jogadas planeadas desde o início. Em vez disso, adapta-se e ajusta-se à medida que o projeto avança.

Por outro lado, o Waterfall adota uma abordagem completamente diferente, com todo o planeamento antecipado durante as fases iniciais. Comparativamente, imagine um concerto de música clássica. Cada movimento é meticulosamente planeado e ensaiado até que todos saibam exactamente o que fazer e quando fazer. Assim como a orquestra, o projeto Waterfall tem um plano detalhado e segue-o rigorosamente.

Executar

O segundo ponto que distingue Agile e Waterfall é a execução. No Agile, a execução é realizada em pequenos ciclos ou iterações, proporcionando resultados incrementais e contínuos. Como uma série de televisão, cada episódio (ou Sprint) oferece valor ao público e contribui para o enredo geral. Já no Waterfall, a entrega é feita de uma só vez, no final do projeto. Tal como num filme, o público tem que esperar a produção até o fim para ver o resultado final.

A equipa

Por fim, a constituição da equipa também difere significativamente entre as duas abordagens. No Agile, a equipa é, geralmente, cross funcional, com todos os membros necessários para desempenhar várias funções. Como uma equipa a qual temos jogadores de habilidades diferentes que a faz capaz de defender e atacar conforme necessário. Já no Waterfall, a equipa se organiza de forma mais especializada devido a natureza da execução em etapas sequenciais. Como numa corrida de revezamento no qual se passa um bastão, primeiro os experts em planeamento fazem seu trabalho, depois é a vez dos desenvolvedores, que entregam o trabalho aos testadores, até a linha final que é o fim do projeto.

Qual abordagem escolher?

Agora, após avaliar os aspectos-chave de Agile e Waterfall, cabe a pergunta: existe uma abordagem "melhor"? Ou poderia a verdade estar escondida na dualidade, onde a escolha ideal varia conforme o contexto?

O Agile é frequentemente a escolha ideal quando os requisitos do projetos não estão totalmente claros ou quando se esperam mudanças frequentes. Isto verifica-se especialmente no desenvolvimento de software, onde as necessidades do usuário podem evoluir ao longo do tempo e a tecnologia disponível também muda rapidamente.

Projetos nos quais a entrega rápida de funcionalidades é prioritária, beneficiam igualmente da abordagem Agile. Com os seus ciclos curtos de trabalho, o Agile permite entregar regularmente incrementos de valor, recolhendo feedback contínuo dos utilizadores ou partes interessadas e adaptando-se em conformidade.

Além disso, em ambientes de grande incerteza ou volatilidade, onde é difícil prever o futuro com precisão, o Agile oferece a flexibilidade necessária para navegar e responder eficazmente a estas incertezas. Pode-se utilizar técnicas como experimentos e validação rápida para direcionar o próximo passo a seguir.

Por outro lado, o Waterfall é geralmente adequado para projetos com requisitos bem definidos e estáveis, onde a possibilidade de mudança é baixa. Projetos de infra-estrutura de TI, construção civil e de fabricação encaixam-se frequentemente nesta categoria.

O Waterfall também é geralmente a escolha preferida em ambientes altamente regulados onde o cumprimento rigoroso de normas e protocolos é crucial. Como o Waterfall requer um planeamento detalhado no início e documentação extensa ao longo do projeto, é mais fácil demonstrar conformidade com estes regulamentos.

Conclusão

Em conclusão, a escolha entre Agile e Waterfall depende do contexto que se está. É importante entender as características do projeto e do ambiente antes de escolher a abordagem mais adequada. O Agile foi criado como alternativa, pois havia uma única opção que era utilizar o Waterfall para todo tipo de problema. Com uma mente aberta, podemos agora escolher entre ambas as abordagens, adaptando-as para as necessidades do nosso projeto. Afinal, para criar soluções a abordagem "tamanho único" raramente se aplica. Pense nisso.

menu
Abrir bate-papo
1
Olá 👋
Podemos ajudá-lo?